27 de Novembro de 2017
Ceará é o líder do Nordeste na Educação Básica e o 5º no País

Veículo: 
Diário do Nordeste

Ao longo dos últimos anos, o Ceará vem ultrapassando as metas do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). A última nota divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão regulador, mostra o Ceará na 5ª colocação do Brasil e líder no Nordeste no ranking de melhores instituições, com 33% das escolas de anos iniciais (1º ao 5º ano) do Ensino Fundamental, atingindo a meta nacional de qualidade estipulada pelo Ministério da Educação (MEC) para o ano de 2021.

A Secretaria de Educação do Estado (Seduc) projeta que estes bons resultados devem se repetir até o referido ano. No último Ideb, o Ceará alcançou 5,9 pontos nos anos iniciais, quando a meta prevista era de 4,5. O resultado ultrapassa a meta de 2021 (5,4) e deixa o Estado apenas a 0,1 décimo de atingir a pontuação da média nacional (6.0). Já nos anos finais, do 6º ao 9º ano, a meta era de 4,3 e o Ceará conquistou 4,8 pontos, superando a projeção para 2017, de 4,6.

Índice positivo

Das 100 melhores escolas públicas do Brasil, 77 estão no Ceará. Sobral é o município com o melhor resultado, liderando o ranking nacional das escolas públicas, com nota 8,8. Já em relação ao Ensino Médio, o Estado está na 10ª posição em relação aos demais Estados do Brasil.

Evolução

Para o secretário da Educação, Idilvan Alencar, a evolução do desempenho do Ceará no Ideb é atribuída ao trabalho realizado pelo Programa Alfabetização na Idade Certa (Paic), implantado em 2007. O Programa surgiu para ampliar o trabalho de cooperação com os 184 municípios cearenses. Com essa expansão, o Ensino Fundamental foi beneficiado com mais apoio técnico e financeiro para a formação de professores, aquisição de material didático e de literatura, avaliação e gestão municipal.

“A criação do Paic foi avanço significativo na nossa educação, quando a política de alfabetização foi ampliada e houve uma parceria entre o Governo e as secretarias municipais da educação. A iniciativa apoia a aprendizagem dos alunos para que sigam com sucesso, tenham bons resultados e ingressem no Ensino Médio bem preparados”, explica Idilvan Alencar.

Políticas

Olavo Nogueira Filho, diretor de política educacional da ONG Todos Pela Educação, aponta três políticas públicas que fazem o Estado ter bons índices na educação: centralização política, formulação de um bom projeto educacional e continuidade. “Ceará tem hoje figurado uma experiência de sucesso na educação brasileira. O Paic, sem dúvida, é um programa que tem ajudado ao Estado executar o planejamento de premissas básicas para bons resultados na educação. A aproximação do Governo e dos municípios também é fundamental neste processo”, afirma.

O consultor educacional defende, ainda, que sem continuidade, todo o trabalho de base para realizar uma educação de qualidade não trará efeito mais concreto no futuro. “Não basta ter uma boa política durante poucos anos apenas. Tem que ser consistente e contínua. No caso do Ceará, o foco na qualificação de professores aparece como um desses pontos que podem ser melhorados”, finaliza.

Leitura e Escrita

Além de se destacar nos índices do Ideb, o Ceará também superou a média brasileira em Leitura, Escrita e Matemática das crianças que estavam matriculadas no 3º ano do Ensino Fundamental da rede pública. Além disso, o Estado obteve os melhores resultados do Nordeste. Os dados têm como base os resultados finais da Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA) de 2016. Já Fortaleza também se destacou no ranking da ANA. A capital cearense, na escrita, passou de 60,65% em nível suficiente, em 2014, e já atinge um percentual de 76,32% de alunos, superando Ceará (70,71%), Nordeste (49,17%) e Brasil (66,15%).

 

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Este guia integra uma série de publicações editadas pela ANDI – Comunicação e Direitos ao longo da última década, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento da cobertura jornalística.