13 de Março de 2020
Evasão escolar e reprovação ainda são desafios para a educação básica

Veículo: 
O Povo

A cada ano escolar, menos alunos são matriculados. Enquanto 99,3% das crianças entre 6 e 14 anos frequentam a escola, o percentual reduz para 91,5% entre jovens de 15 a 17 anos. Os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), analisados pelo relatório anual do Todos pela Educação, indicam altos índices de evasão escolar, principalmente entre alunos do ensino médio. Segundo a pesquisa, são 783 mil adolescentes fora da escola. O documento afirma que, em 2019, o Ministério da Educação (MEC) não atuou para manutenção da educação básica.

Ainda, para aqueles jovens que continuam no ensino médio, três em cada dez matriculados (28,2%) estão em situação de atraso de dois ou mais anos na trajetória escolar. No entanto, a problemática vai crescendo a medida dos avanços nos anos escolares: no ensino infantil, 11,2% dos matriculados estão em situação de atraso, enquanto no ensino fundamental o percentual sobe para 24,7%.

De acordo com o Relatório Anual de Acompanhamento do Educação Já!, da ONG Todos pela Educação, os altos índices de atraso escolar contribuem para níveis ainda mais baixos de crianças e jovens que concluem o ensino fundamental e médio em idade adequada. Por mais que o indicador tenha evoluído com o passar dos anos, somente 78% dos jovens brasileiros de 16 anos concluíram o ensino fundamental em 2019, e apenas 65% dos de 19 anos concluíram o médio.

Os dados apontam que a problemática começa antes mesmo da conclusão da vida escolar. Somente 82% dos alunos dos anos finais do ensino fundamental e 78% dos alunos do ensino médio fazem a transição entre as séries de forma adequada.

Já a primeira infância tem poucos matriculados. Apesar de ter avançado 22 pontos percentuais no número de crianças frequentando as creches em comparação a 2001, o Brasil só teve cerca de 35,6% delas matriculadas durante 2018. Ainda é bem longe do estabelecido pelo Plano Nacional de Educação (PNE), que pretende atender 50% das crianças brasileiras até 2024.

O cenário parece melhorar para as crianças de 4 e 5 anos, que estão em 93,8% matriculadas na escola. No entanto, o número ainda representa 329 mil fora da escola.

Aprendizado

O aprendizado infantil na idade certa tem decaído durante a trajetória escolar dos estudantes. Alunos do 5° do ensino fundamental apresentaram evolução significativa entre 2007 e 2017, com habilidade em Língua Portuguesa saindo de 27,9% para 60,7%; e em Matemática de 23,7% para 48,9%. Os dados são do Ministério da Educação (MEC).

Entretanto, os alunos do 9° ano tiveram crescimento menor no mesmo período, aumentando de 20,5% para 39,5% em Língua Portuguesa, e de 14,3% para 21,5% em Matemática.

Já no 3º ano do ensino médio, dados do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) dão conta de que apenas três alunos de cada dez possuíam nível de aprendizagem adequada em Língua Portuguesa (29,1%) em 2017. Em Matemática, a taxa cai de um a cada dez.

Isso significa que apenas 9,1% dos jovens compreendem suficientemente a matéria, número que caiu nos últimos dez anos. Em 2007, o número era de 9,8% de estudantes com o aprendizado adequado. Já em 2017, vindo de índices ainda menores nos anos anteriores, fechou com 9,1% de alunos com desempenho correto.

Patrocínio
Publicações
Este guia integra uma série de publicações editadas pela ANDI – Comunicação e Direitos ao longo da última década, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento da cobertura jornalística.