18 de Janeiro de 2012
MG: Avaliação revela que quase cinco mil crianças têm nível insuficiente de leitura e escrita

Veículo: 
O Tempo

Dos 15 mil alunos de escolas municipais de Belo Horizonte (MG) avaliados em 2011 pelo Programa de Avaliação da Alfabetização (Proalfa), quase cinco mil (32,3%) estão com índice de leitura e escrita abaixo do recomendável. O resultado aponta que um em cada três estudantes ainda não sabe ler e escrever com fluência nem interpretar informações. Os dados, divulgados ontem (17) pela Secretaria Municipal de Educação, levam em conta os resultados alcançados pelas crianças de oito anos de 153 instituições de ensino, que cursavam o 3º ano do primeiro ciclo no ano passado. O resultado é a soma do percentual de 15,6% dos alunos com padrão de desenvolvimento baixo para essa fase escolar e dos 16,7% na faixa intermediária. Com 67,7% dos estudantes no nível apropriado, o resultado coloca a capital abaixo da média estadual, que é de 88,9%. Para a psicóloga Luciana Nunes, é fundamental que as instituições de ensino se adaptem à necessidade das crianças. "O desafio é descentralizar o poder do professor e atrair o interesse do aluno para os temas de leitura", diz.

Patrocínio
Publicações
O guia procura orientar os profissionais de comunicação para uma cobertura qualificada e contextualizada do tema oferecendo referências às políticas públicas, esclarecendo conceitos e sugerindo fontes.