01 de Fevereiro de 2012
Remédio para déficit de atenção pode estimular pensamentos suicidas

Veículo: 
Folha de S. Paulo

Membros de um comitê da FDA (agência que supervisiona remédios nos Estados Unidos) pediram para o órgão incluir na bula do remédio Focalin, indicado para transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), um alerta para o risco de desenvolver, por parte do paciente, pensamentos suicidas. A droga não é vendida no Brasil e é indicada para crianças a partir de seis anos. A agência recebeu oito relatos desse efeito colateral em crianças e adolescentes. Quatro desses casos parecem ter ligação direta com o remédio. A FDA, porém, disse que o de efeito colateral não foi identificado nos ensaios clínicos e que o número de reclamações é pequeno. A Novartis, que fabrica a medicação, disse que o Focalin não apresenta nenhuma semelhança com os remédios à base de metilfenidato disponíveis para o tratamento do TDAH no Brasil. 

Tags:

Patrocínio
Publicações
O guia procura orientar os profissionais de comunicação para uma cobertura qualificada e contextualizada do tema oferecendo referências às políticas públicas, esclarecendo conceitos e sugerindo fontes.