05 de Maio de 2014
Brasil tem 330 crianças e adolescentes sumidos

Veículo: 
Gazeta do Povo

Pelo menos 330 crianças e adolescentes não têm o paradeiro conhecido no Brasil, de acordo com os dados do Cadastro Nacional de Crianças e Adolescentes Desaparecidos, ferramenta mantida pela Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República. No Paraná, são 26 casos de desaparecimento de crianças que ainda demandam investigação policial. Lideram o ranking os estados do Rio de Janeiro (120), Minas Gerais (86) e São Paulo (34). Já os vizinhos da região Sul têm números menores que os paranaenses: 19 casos do Rio Grande do Sul e seis em Santa Catarina. É difícil confirmar a veracidade das estatísticas. A disparidade entre estados que possuem muitos casos e outros que não têm quase nenhum revela que a falta de notificação e de articulação de uma rede de proteção efetiva prejudica a investigação. O Paraná, por exemplo, é o único estado que possui uma delegacia especializada, o Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Sicride), criado em 1995. Entre os 26 casos investigados pela pasta, o mais antigo é de Mikelangelo Alves da Silva, que desapareceu em 1980, aos 4 anos em Foz do Iguaçu. Já o mais recente é de Cristiano Soares, de 2 anos, que sumiu em Santo Antônio da Platina, no Norte Pioneiro, em novembro do ano passado.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.