02 de Janeiro de 2012
Projetos atendem a 9 mil crianças, adolescentes e famílias

Nos últimos três anos, a Fundação Criança atendeu, anualmente, em média, nove mil crianças, adolescentes e famílias. Em 2011, foram formalizadas duas parcerias significativas com a iniciativa privada para o lançamento de dois novos projetos, a República Jovem, que visa ajudar jovens que completaram 18 anos, não possuem vínculos familiares e comunitários e estavam nos serviços de acolhimento da cidade, e a Lanchonete Escola, realizado em parceria com a Secretaria de Educação, que permite a formação de adolescentes e jovens para a inclusão no mundo do trabalho com a qualificação profissional de atendentes de lanchonete.

Segundo o presidente da Fundação Criança, Ariel de Castro Alves, os serviços de acolhimento receberam atenção especial com supervisão e formação, o que vem repercutindo no retorno de crianças e adolescentes para suas famílias de origem.  Em 2011, 74 crianças e adolescentes foram atendidas nos serviços de acolhimento em abrigos e 235 no acolhimento inicial. O trabalho de abordagem de rua e enfrentamento ao trabalho infantil também foi intensificado, com 12 novos educadores sociais atuando diariamente nas ruas.

Projetos
No âmbito dos projetos de oportunidades e inclusão, a fundação atendeu 48 jovens pelo projeto Lanchonete Escola, 300 adolescentes pelo Protejo, em conjunto com a Secretaria de Segurança Urbana, nos últimos dois anos, 64 pelo Programa de Educação para o Trabalho, em parceria com o Senac, e mais recentemente 35 jovens pelo projeto República Jovem – que em novembro também iniciou o atendimento de moradia a três jovens acima de 18 anos, com histórico de abrigamento e sem vínculo familiar, além de oferecer qualificação profissional a outros 32 jovens que moram com a família. A fundação mantém ainda o projeto Contando História, que atendeu em 2011 mais de 290 adolescentes, atuando nas bibliotecas interativas das escolas municipais em parceria com a Secretaria Municipal de Educação.

Na execução das Medidas Socioeducativas de Meio Aberto (Liberdade Assistida - LA e Prestação de Serviços à Comunidade - PSC) foi aprimorado o trabalho com a realização de seminários de formação, capacitação da equipe de educadores e supervisão. Neste ano, a fundação teve um projeto aprovado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, voltado para a empregabilidade e inclusão social de adolescentes inseridos no sistema socioeducativo em meio aberto. Também vem sendo construída parceria de atuação conjunta com a Fundação Casa, que inaugurou duas unidades na Cidade em 2011, para a preparação dos jovens ao retorno a sociedade e para cumprimento de Liberdade Assistida na Fundação Criança.

Por meio do Programa Integrado de Garantia de Direitos (PIGD), desenvolvido no Jardim Silvina, Jardim das Orquídeas, Santa Cruz e Parque São Bernardo, foram atendidas cerca de 200 crianças e adolescentes em cada um desses espaços.

Outra importante ação na área da proteção especial em 2011 foi o atendimento a crianças e adolescentes vítimas de violência doméstica e sexual, com mais de 400 casos acompanhados, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde.

Cidade dos Direitos - Completaram-se dois anos da Cidade dos Direitos da Criança e do Adolescente, onde funciona a sede da Fundação Criança e o Centro de Referência dos Direitos da Criança e do Adolescente. Mais de 2 mil pessoas, entre crianças, adolescentes e adultos, visitaram e foram atendidos pela Cidade dos Direitos por meio de projetos como Tempo de Escola, da Secretaria de Educação, Labirinto Verde dos Direitos, em parceria com a Secretaria de Gestão Ambiental, além de eventos de formação e socioculturais, atividades esportivas com a Secretaria de Esporte e visitas monitoradas.

No espaço funciona também o Galpão Cultural, que atendeu mais de 300 pessoas por meio de atividades de dança, teatro, artes, cenografia e esportes, em parceria com a Associação de Judô Gulô e a Liga Futsal de São Bernardo.

A Fundação Criança, enquanto responsável pela secretaria executiva da Rede Criança Prioridade 1, viabilizou, em 2011, a realização de vários encontros, denominados Dialogando em Rede, e atividades de formação, com a participação de aproximadamente 600 pessoas, além da publicação de Guia Sobre Fundos da Criança e Revistas sobre Educação Fiscal e trabalho em Rede.

Em 2011, o programa Reencontro se destacou, principalmente com a 1ª Exposição Fotográfica Itinerante de Crianças e Adolescentes Desaparecidos, que teve início na Fundação Criança, passando também pela Assembleia Legislativa de São Paulo. Essa exposição terá continuidade no ano de 2012.

Patrocínio
Publicações
O guia procura orientar os profissionais de comunicação para uma cobertura qualificada e contextualizada do tema oferecendo referências às políticas públicas, esclarecendo conceitos e sugerindo fontes.