UNODC lança Guia sobre Gênero, HIV/AIDS e Coinfecções no Sistema Prisional

Compartilhe

No cotidiano dos presídios, as experiências vivenciadas entre homens e mulheres são variadas e nesse contexto são ainda mais evidentes as desigualdades, discriminações, violências físicas e psicológicas, entre outras agressões por orientação sexual e identidade de gênero.

Segundo dados do Sistema Integrado de Informações Penitenciárias (2011), a oferta de vagas para mulheres no Sistema Prisional é pequena em todo o país. Há aproximadamente 20.231 vagas para mulheres e 286.266 para homens. Por conta do pequeno número de mulheres presas, poucos serviços e estruturas são destinados a elas. O direito à visita íntima, por exemplo, é limitado ou inexistente e as ações de prevenção e tratamento do HIV/AIDS também são precárias.

Esses são dados do Guia sobre Gênero, HIV/AIDS e Coinfecções no Sistema Prisional, lançado pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS/OMS), com parceria do Ministério da Saúde e do Ministério da Justiça, no IX Congresso Brasileiro de Prevenção das DST e Aids.

A publicação tem por objetivo subsidiar as reflexões sobre relações de gênero, na perspectiva da prevenção do HIV, Aids e coinfecções em sistemas fechados, como as prisões. Busca também, com esta iniciativa, contribuir para que profissionais do Sistema Prisional reconheçam e fortaleçam o papel que exercem no interior das instituições e que sejam, a partir disso, valorizados como agentes de transformação, educação e promoção dos Direitos Humanos.

Sugestão de fontes:

Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC)
(61) 3204-7200 / 3204-7206
[email protected]

Giovanni Ravasi
Especialista em Doenças Infecciosas
Assessor Regional do Projeto HIV na Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS/OMS)
(61) 3251-9595
http://new.paho.org/bra

Miriam Pillar Grossi
Especialista em Gênero, Sexualidade e Violência
(48) 3331-8805 – ramal 34
[email protected]