O Seminário Internacional tem como objetivo o compartilhamento de intervenções locais e regionais destinadas ao enfrentamento da cultura de fracasso escolar. As experiências que serão apresentadas e as discussões envolvendo especialistas em educação, professores e gestores escolares, tomadores de decisão e sociedade civil abordarão as raízes dos problemas ainda não superados pelas redes de ensino e que impactam milhares de estudantes na América Latina e no Caribe, quando se trata de acesso, permanência e aprendizagem nas suas trajetórias escolares.

Antes mesmo do início da pandemia de Covid-19, aproximadamente 10,4 milhões de crianças e adolescentes já estavam fora da escola na região da América Latina e do Caribe. Embora o acesso e a conclusão no nível primário fossem relativamente altos, havia uma grande preocupação com a evasão no ensino médio, que é mais alta no final de tal período, sendo 2,3 milhões de adolescentes fora da escola no início do ensino médio e 6,4 milhões de adolescentes fora da escola ao final dessa mesma fase escolar.

No Brasil, em 2019, 2,1 milhões de estudantes foram reprovados, mais de 620 mil abandonaram a escola e mais de 6 milhões estavam em situação de distorção idade-série. Reprovação, abandono e distorção idade-série são as raízes da cultura de fracasso escolar que coloca em risco as trajetórias de estudantes, não somente no Brasil, mas também em toda a região da América Latina e do Caribe. O perfil desses estudantes brasileiros afetados pelo fenômeno é bem conhecido. Em sua maioria, são indígenas, pretos e pardos, residentes nas zonas rurais e periferias urbanas, e estão concentrados nas regiões Norte e Nordeste do País.

Essa situação foi agravada pela pandemia de Covid-19. A América Latina e o Caribe foram as regiões mais afetadas pelos fechamentos prolongados das escolas, com uma média de 158 dias letivos entre março de 2020 e fevereiro de 2021. Na região, três em cada cinco crianças perderam um ano letivo completo (aproximadamente 60% de todos os alunos na América Latina e no Caribe não tiveram acesso a aulas presenciais). Os grupos vulneráveis foram os mais afetados e estão enfrentando ainda os maiores desafios para continuar aprendendo. No Brasil, mais de 5,5 milhões de crianças e adolescentes não tiveram acesso às atividades escolares em 2020, seja por meio impresso, digital, presencial ou remoto.

Reprovação, abandono escolar e distorção idade-série são causas que se reforçam mutuamente e que contribuem para a ocorrência do fenômeno que põe em risco as trajetórias escolares de crianças e adolescentes; principalmente, daqueles estudantes em situação de maior vulnerabilidade.

O Seminário Internacional Trajetórias de Sucesso Escolar, realizado pelo UNICEF no Brasil, em parceria com a FLACSO Brasil e com apoio da Porticus, será um evento de três dias, inteiramente online, no qual grandes nomes da educação no País e na região da América Latina e do Caribe, além de professores, estudantes, pesquisadores, tomadores de decisão e organizações da sociedade civil, vão compartilhar suas experiências com programas, ações e políticas que objetivam o enfrentamento das raízes da cultura de fracasso escolar, bem como suas principais consequências para estudantes mais vulneráveis.

Espera-se que o evento proporcione a todos os participantes atividades práticas, análises profundas dos contextos locais, nacionais e internacionais, e a formulação de um entendimento comum sobre a importância das políticas escolares para a construção de uma nova cultura escolar que permita a todos os estudantes, independentemente da sua origem e experiências, aprender de forma significativa. Uma cultura em que professores e estudantes são coautores de suas atividades de aprendizagem e, juntos, possam interagir não apenas entre si, mas também com toda a comunidade escolar. Os resultados preliminares da implementação da estratégia Trajetórias de Sucesso Escolar no Brasil serão compartilhados e também vão direcionar as discussões durante o seminário.

A estratégia Trajetória de Sucesso Escolar está sendo implementada em parceria com oito Secretarias Estaduais de Educação de todo o País (Acre, Roraima, Amapá, Pará, Rio Grande do Norte, Sergipe, Espírito Santo e Distrito Federal), possibilitando a formulação de programas e políticas cuja abordagem abrange os marcos legais e institucionais das Secretarias Estaduais de Educação, a gestão escolar e a organização das aulas e atividades curriculares. Esses processos precisam ocorrer de forma articulada e integrada, partindo da implementação de propostas pedagógicas específicas para os estudantes mais vulneráveis, por meio de um currículo que considere não apenas conhecimentos oriundos da escola, mas também experiências socioculturais e de acordo com as necessidades do estudante.

 

Compartilhe

Período:

15/06/2021 às 15:00 até 17/06/2021 às 16:30

Local:

Canal do Unicef no Youtube

Informações:

As inscrições para o Seminário estarão disponíveis entre os dias 7 e 11 de junho, por meio do formulário eletrônico que pode ser acessado em: INSCREVA-SE

A certificação será concedida somente aos participantes que realizarem a sua inscrição no período informado. Para aqueles interessados em acompanhar o seminário mesmo sem inscrição prévia, informamos que o evento será transmitido ao público por meio do canal do UNICEF no YouTube que pode ser acessado aqui.

Promoção:

UNICEF

Inscrições:

07/06/2021 até 11/06/2021