04 de Dezembro de 2013
Fome cai para 7,9% e obesidade aumenta 23% na América Latina

Veículo: 
O Povo

A América Latina continental e as ilhas do mar do Caribe reduziram o percentual de pessoas que passam fome de 14,7% para 7,9% em 20 anos, enquanto a obesidade nas regiões continental e insular atingiu 23%. É o que destaca um relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), apresentado na terça-feira (3), em Santiago do Chile. De acordo com o Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional 2013 da FAO, a subnutrição nas duas regiões afeta 47 milhões de pessoas em uma população total de 600 milhões. A agência especializada das Nações Unidas em produção de mantimentos e combate à inanição, sediada em Roma, explicou a redução da fome pela "tendência positiva no crescimento econômico que impactou a renda das famílias vulneráveis e permitiu reduzir a pobreza", assim como por "políticas públicas que permitiram que os benefícios do crescimento colaborassem na erradicação da fome". Os países com os maiores índices de fome em sua população são Haiti, 49,8%; Guatemala, 30,5%; Paraguai, 22,3%; Nicarágua, 21,7%; Bolívia, 21,3%; e Equador, 16,3%.

Patrocínio
Publicações
Este guia integra uma série de publicações editadas pela ANDI – Comunicação e Direitos ao longo da última década, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento da cobertura jornalística.