28 de Fevereiro de 2014
Sucos de caixinha não devem ser consumidos com frequência

Veículo: 
O Estado do Maranhão

Apenas no Brasil, a produção de "sucos de caixinha" (sucos e néctares) cresce 10% ao ano, segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e de Bebidas Não Alcoólicas (Abir). Queridos por crianças e adultos, seja pelo sabor ou pela praticidade, tais produtos viraram assunto nas redes sociais depois que testes feitos pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) apontaram que alguns fabricantes não colocam na composição o teor mínimo de fruta exigido por lei. Logo surgiu a dúvida: essas bebidas são saudáveis ou não? Os especialistas são unânimes: sucos de caixinha não devem ser consumidos com frequência. São produtos para ingestão esporádica, já que contêm grandes quantidades de açúcar e de aditivos químicos, entre conservantes, corantes e flavorizantes. Para além da concentração de fruta menor do que a obrigatória, em certas marcas – o que foi avaliado como propaganda enganosa –, substâncias adicionadas a bebidas de caixinha podem causar alergias e sobrecarga no fígado e nos rins, que precisam trabalhar mais para metabolizá-las e excretá-las, diz a nutricionista Ana Paula Bortoletto, do Idec.

Patrocínio
Publicações
O guia procura orientar os profissionais de comunicação para uma cobertura qualificada e contextualizada do tema oferecendo referências às políticas públicas, esclarecendo conceitos e sugerindo fontes.