Estudo sobre as políticas públicas de proteção à saúde infantil e materna no Brasil: um olhar especial para os filhos de mães adolescentes

(2011)

Autor(es):

Visão Mundial Brasil

Baixar PDF

(3,19 MB)

 

Estudo faz parte da campanha Saúde para as Crianças Primeiro, que tem como foco a mortalidade infantil de filhos de mães adolescentes. De acordo com o Ministério da Saúde, em 2009, morreram 42.684 bebês, sendo 20% deles filhos de adolescentes entre 10 e 19 anos, mesmo índice de 1998. Cerca de 60% das mortes poderiam ter sido evitadas se houvesse política ou ação específica de pré-natal.

O levantamento revela ainda o perfil das grávidas adolescentes e aponta estreita relação entre a baixa renda e elevação das taxas de mortalidade infantil e materna. Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), relacionada no levantamento da Visão Mundial, mosttra que 18 das meninas com renda per capita de até meio salário mínimo têm pelo menos um filho. Apenas 1% das meninas com renda acima de cinco salários mínimos já são mães. Falta de oportunidades, de informação e apoio maior em termos de políticas públicas explicam essa diferença, na avaliação da coordenadora técnica da campanha, Neilza Costa.

palavras-chave