Projetos

Infância e Juventude

Jornalista Amigo da Criança

Compartilhe

Criado em 1997, o projeto Jornalista Amigo da Criança resulta em uma rede de 398 profissionais com capacidade de interferência qualitativa e quantitativa na produção da mídia nacional. Esta, e a ética no exercício profissional, são características inalteradas das titulações que, a partir de 2012, acompanha o reposicionamento de atuação da ANDI – Comunicação e Direitos. A ressignificação da ex-Agência de Notícias dos Direitos da Infância estendeu o envolvimento do trabalho de interlocução constante com as redações brasileiras, monitoramento de mídia e relacionamento acadêmico aos temas da inclusão e sustentabilidade e políticas de comunicação.

Assim, nas escolhas anteriores a 2012, além do posicionamento ético, a elaboração de matérias com incidência direta na promoção e defesa dos direitos da infância e adolescência foi o critério básico para a seleção. Na seleção de 2021, foram selecionados 22 jornalistas que se destacam não só por essa atividade, mas também pelas matérias frequentes nas áreas de defesa dos direitos humanos, e da capacidade de incidir na Agenda Social.

O projeto acabou de ganhar uma nova logomarca. Ela representa essa mudança percebida pela instituição: cada vez mais jornalistas mulheres têm se destacado na cobertura da infância e adolescência no Brasil. Na diplomação de 2021, dos 22 jornalistas diplomados, 19 são mulheres. A nova logo, criada pela designer Luisa Melo, continua seguindo o princípio do projeto: a criança é sempre prioridade. E por isso a jornalista está na mesma altura da criança para entrevista-la.

O projeto Jornalista Amigo da Criança conta com o patrocínio da Petrobras.

Objetivos

A permanência do projeto propicia o crescimento de uma rede qualificada de profissionais aptos a incidir na Agenda social, de forma a contribuir para o desenvolvimento do País com democracia, igualdade e justiça social.

Ao mesmo tempo, favorece a especialização dos jornalistas diplomados, e a capacidade de negociação, nas redações, de temas específicos das agendas da inclusão e sustentabilidade, dos direitos humanos, e das políticas de comunicação.

A presença dos Jornalistas Amigos da Criança nas redações dos 80 maiores meios de comunicação do País garante, pela liderança que exercem, o efeito multiplicador dos temas que abordam para os seus colegas de trabalho.

Benefícios:

Uma vez diplomado, o profissional de comunicação passa a contar com um amplo trabalho de suporte oferecido pela ANDI, agências das redes ANDI e organizações parceiras na defesa dos direitos infanto-juvenis. O projeto oferece constantemente aos titulados oportunidades de aperfeiçoamento, treinamento e capacitação por meio de oficinas presencial e online.

Produção e envio de publicações especializadas, apoio logístico em reportagens de campo, orientação sobre abordagens e recomendações de fontes de informação são outros benefícios disponibilizados.

Patrocínio