320 mil vacinas de meningite são recolhidas

Veículo: Folha de S. Paulo - SP
Compartilhe

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) comunicou na quinta (16) que 12 lotes da vacina Meningitec contra meningite C da Wyeth, o correspondente a 320 mil doses, serão recolhidos por ter sido constatada a presença de partículas de óxido de ferro nas injeções. A empresa, do grupo Pfizer, afirma que isso ocorreu por um desgaste no aparelho que faz o envase das doses, fabricadas na Espanha. O problema foi detectado em uma análise feita pela fabricante espanhola em setembro e atinge injeções fabricadas desde 2012 (veja os lotes acima). A vacina da Wyeth é usada apenas em clínicas privadas do país. Cada dose custa, em média, R$ 190. O recolhimento deverá provocar desabastecimento dessa marca em específico, diz a Anvisa, que informa haver outras opções no mercado. A suspensão ocorreu após aviso da própria empresa de que faria o recolhimento voluntário do produto. De acordo com a Wyeth, as vacinas atingidas pelo recolhimento não oferecem risco à saúde. A imunização é indicada a crianças a partir de três meses, jovens e adultos contra a meningite C, doença que causa inflamação das membranas que revestem o cérebro e a medula espinhal e pode levar à morte. Segundo o toxicologista Anthony Wong, diretor do Ceatox-SP (Centro de Assistência Toxicológica do Hospital das Clínicas da USP), a ferrugem encontrada nas vacinas recolhidas não causa mal à saúde. "É um corpo estranho e será eliminado pelo organismo eventualmente, mas não representa risco. É só uma substância que foge ao padrão de qualidade.

Temas deste texto: