50 crianças morrem após vacinação na Síria

Veículo: O Globo - RJ
Compartilhe

Pelo menos 50 crianças morreram no Noroeste da Síria, em áreas controladas pela insurgência no país, após tomarem vacinas contra sarampo, caxumba, rubéola e poliomielite. Ainda não está claro o que pode ter acontecido com as ampolas, mas autoridades de saúde levantaram suspeitas de a medicação ter estragado ou de sabotagem deliberada. A campanha de vacinação em larga escala foi suspensa, mas mais mortes podem ocorrer, pois não se tem o número preciso de quantas aplicações foram feitas com as vacinas. A maioria das vítimas é de bebês – muitas delas sequer completaram 1 ano de vida. As mortes se concentraram nas cidades de Jarjanaz e Sinjar, na província de Idlib, áreas controladas pela oposição ao presidente sírio, Bashar alAssad. As forças rebeldes têm procurado suprir a função de governo interino, e também providenciam os serviços básicos de saúde, que entraram em colapso após o início da guerra civil na Síria, em 2011. De acordo com o médico Abdullah Ajaj, que coordenou a vacinação no Centro Médico de Jarjanaz as crianças apresentaram sinais de "severo choque alérgico" cerca de uma hora depois de receberem a segunda rodada da vacina contra sarampo. Muitas delas sufocaram até a morte, enquanto os corpos inchavam.

Temas deste texto: