A bolsa é para a escola

Veículo: O Globo - RJ
Compartilhe

Em artigo, o jornalista Carlos Alberto Sardenberg diz que o programa Bolsa Família funciona no curto prazo – ao dar um alívio imediato às famílias mais pobres – e no médio e longo prazos, com a escola. No entanto, segundo ele, há o risco de o programa transformar-se em uma prática populista. “Quando os governantes começam a se orgulhar do crescente número de bolsas distribuídas e nem se lembram de mostrar os resultados escolares e índices de saúde, a proposta já virou eleitoral”. Sardenberg conclui dizendo que ter todos os pobres recebendo dinheiro do governo não significa que acabou a pobreza. “É o contrário, é sinal de que a economia não consegue gerar educação, emprego e renda para essa gente. O fim da pobreza depende de dois outros indicadores: crianças e jovens nas escolas e qualidade do ensino”.

Temas deste texto: