Adoção: aumentar a escolha por crianças mais velhas, negras e com irmãos é o grande desafio

Veículo: Jornal de Brasília - DF
Compartilhe

Às vésperas do Dia Nacional da Adoção, especialistas apontam que ainda há muitos obstáculos a serem vencidos, como a resistência a crianças mais velhas, negras, com irmãos ou com problemas de saúde. O reflexo dessas preferências cria uma grande discrepância. Segundo a 1ª Vara da Infância e Juventude do Distrito Federal, das 410 pessoas cadastradas e habilitadas a adotar, 380 esperam por uma criança com menos de dois anos, preferencialmente branca e sem problemas de saúde ou disfunções genéticas. Para o supervisor da Seção de Colocação em Família Substituta da Vara da Infância no DF, Walter Gomes, ainda há um ranço de preconceito e desconhecimento de muitos candidatos. "Muitas pessoas ainda idealizam a adoção, acham que podem ter dificuldades com os filhos adotivos que sejam um pouco mais velhos", afirma.

Temas deste texto: