AM: Prefeito é acusado de exploração sexual

Veículo: O Globo - RJ
Compartilhe
Membros do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) irão esta semana a Manaus (AM) para analisar processos de exploração sexual e denúncias feitas contra o atual prefeito de Coari (AM), Adail Pinheiro (PRP), município a 362 quilômetros da capital. Segundo reportagem deste domingo (19) do programa Fantástico, da Rede Globo, o órgão checará se houve negligência dos juizes da região para julgar e analisar depoimentos e provas contra o político. Pinheiro é acusado de exploração sexual contra crianças e adolescentes e desvio de R$ 49 milhões dos cofres municipais. Segundo apuração do Fantástico, o prefeito responde a 77 processos, oito dos quais estão nas mãos dos desembargadores do Tribunal de Justiça do Amazonas; e a três sobre favorecimento de prostituição, instaurados em 2008. As investigações estão paradas há um ano. Ainda em 2008, a Polícia Federal comprovou indícios de que ele chefiava uma rede de exploração sexual junto a servidores públicos, responsáveis por identificar e aliciar vitimas. Na época, o prefeito chegou a ficar preso por 63 dias, mas foi solto por determinação judicial. Seu nome consta da lista da CPI da exploração sexual infantil da Câmara dos Deputados.
Temas deste texto: