Anti-hipertensivo só para grávidas

Veículo: Correio Braziliense - DF
Compartilhe

 

Um tratamento inédito para eclampsia está sendo desenvolvido por pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em parceria com a União Química Indústria Farmacêutica, detentora da licença da patente do medicamento, entra em uma nova etapa de testes. Agora, o anti-hipertensivo específico para pré-eclâmpsia e eclâmpsia será testado em 100 pacientes com o diagnóstico da doença relacionada a cerca de 40% das mortes registradas na gestação e nos partos. Doença que atinge de 5% a 10% das grávidas, a pré-eclâmpsia ainda não tem causa esclarecida nem tratamento eficaz. Segundo Zilma Reis, professora do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da UFMG, o problema se manifesta com a elevação da pressão arterial, mesmo em mulheres que nunca tiveram pressão alta, e perda de proteínas na urina.

 

Temas deste texto: