CE: Crianças e adolescentes fora da escola há pelo menos um ano

Veículo: Diário do Nordeste - CE
Compartilhe

Elas fazem parte do cenário de ruas e semáforos da Cidade. Aos olhos da sociedade, no entanto, é como se fossem invisíveis. Mas afinal, quem são as crianças e adolescentes que têm a rua como morada? Pesquisa feita pelo Projeto "Criança não é de rua", em dez capitais brasileiras, através de entrevista feita por educadores, traça o perfil desses jovens. Nas dez capitais, 467 pessoas foram entrevistadas. Fortaleza, entretanto, foi a cidade que ouviu mais pessoas (104). Manoel Torquato, coordenador da campanha "Criança não é de rua", explica que esse dado não representa o total de crianças e adolescentes morando nas ruas, mas o número de entrevistados. Conforme a Plataforma Digital Rua Brasil S/Nº, validada pela Universidade Federal do Ceará (UFC), 81% das crianças e adolescentes de rua da capital cearense são do sexo masculino. Em relação à etnia, 78% se declararam pardos ou negros, enquanto 20%, brancos. O nível escolar também foi avaliado: 46% possuem o ensino fundamental do 1º ao 5º ano incompleto.

Temas deste texto: