Cérebro de autistas tem mais conexões neurais

Veículo: Correio Braziliense - DF
Compartilhe

O cérebro de crianças com autismo tem mais conexões do que o daquelas que apresentam um desenvolvimento tradicional. De acordo com duas pesquisas lideradas por cientistas norte-americanos, os neurônios hiperconectados podem explicar o distúrbio mental. Esse efeito seria proporcional, pois os estudiosos observaram que o cérebro de pacientes com os sintomas sociais mais graves são também os mais hiperconectados. Os resultados, divulgados no jornal científico Cell Reports, desafiam a noção prevalecente na comunidade científica de que os autistas apresentam carência de conexões neurais. "Nosso estudo aborda uma das perguntas em aberto mais quentes da pesquisa científica em autismo", avalia Kaustubh Supekar, um dos autores e professor da Escola de Medicina de Stanford, nos Estados Unidos. O trabalho realizado por ele e por Vinod Menon teve como objetivo caracterizar a conectividade de todo o cérebro em crianças.

Temas deste texto: