Contra a exploração sexual de crianças e adolescentes

Veículo: Jornal do Commercio - PE
Compartilhe

A Copa do Mundo também está gerando uma verdadeira mobilização internacional contra a exploração sexual de crianças e adolescentes. Através de parceria com a rede End Child Prostitution And Trafficking (ECPAT), que luta contra a exploração sexual e tráfico de crianças, tem sede na França e atuação em 16 países, o Conselho Nacional do Serviço Social da Indústria (SESI) quer evitar a intensificação desse tipo de crime durante o evento desportivo. Por meio de ações no território europeu, nas doze cidades brasileiras que estão sediando os jogos e em redes sociais como o Facebook e o Twitter, a campanha “Não Desvie o Olhar” está conscientizando as pessoas para o problema e já conta com o apoio de muitos famosos, como os jogadores Kaká e Juninho Pernambucano e a atriz Taís Araújo. A estimativa é de que mais de 40 milhões de pessoas sejam atingidas, durante o período.

Temas deste texto: