Corretores de redações do Enem ganham do MEC R$ 2,35 por texto

Veículo: O Globo - RJ
Compartilhe

Corrigir cem textos em duas horas compromete os critérios de avaliação? E se, a cada prova revisada, o corretor ganhasse menos de R$ 3? Na última edição do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), 5.683 corretores tiveram a missão de avaliar mais de quatro milhões de redações num espaço de menos de um mês. De acordo com o Ministério da Educação (MEC), cada redação corrigida vale RS 2,35. Todo o processo é feito virtualmente. O corretor recebe lotes com 50 provas, e assim que as corrige recebe outra leva. Segundo o MEC, em média, cada corretor cuidou de 60 provas por dia. Mas este número pode ser muito maior.

Desgaste – Segundo o professor Wander Lourenço, o processo de correção é desgastante, o que acaba comprometendo o nível da avaliação. Ele foi corretor em 2011, mas não aceitou o desafio no ano passado. “Corrigi 4.200 redações em menos de 20 dias. Fiquei muito apavorado. Eu tinha aceitado as condições porque precisava de dinheiro, mas a experiência foi tão traumática que decidi não participar da correção do último Enem”, conta o docente.

Temas deste texto: