Crianças-soldado chegam a nove mil

Veículo: O Globo - RJ
Compartilhe

Em cartaz em uma exposição de fotografias em Nova York, nos Estados Unidos, o ator sul-sudanês Ger Duany revela que usou uma AK-47 antes de aprender a ler e escrever. Assim como ele, nove mil crianças-soldado refletem a realidade da infância em um país que vive um conflito étnico responsável pela morte de milhares de pessoas desde dezembro do ano passado. Na quarta-feira (30), após se reunir com o presidente Salva Kiir e seu ex vice-presidente Riek Machar, as duas pontas da violência, a comissária da Organização das Nações Unidas (ONU) para os Direitos Humanos, Navi Pillay, disse estar "horrorizada" com a indiferença de ambos os lados e denunciou a morte de crianças em massacres cometidos tanto pelo Exército como pelas forças partidárias de Machar. No total, 32 escolas e centros médicos estão nas mãos das duas tropas. "A perspectiva de infligir fome e desnutrição em grande escala a centenas de milhares de compatriotas pela incapacidade pessoal em resolver suas divergências pacificamente não parece provocar grande comoção" afirmou Pillay. Como mais da metade da população tem menos de 18 anos, a crise atingiu em cheio as crianças: 470 mil estão desnutridas e, até o fim do ano, estima-se que 50 mil delas possam morrer de fome.

Temas deste texto: