Desrespeito das escolas

Veículo: Correio Braziliense - DF
Compartilhe

A educação se tornou prioridade para milhões de brasileiros – um ganho fundamental para o País. Mas, ao mesmo tempo em que aumenta o número de alunos nas salas de aulas, disparam as reclamações em relação a serviços prestados pelas escolas. As queixas são gerais: reajustes das mensalidades fora da realidade, cobrança de taxas abusivas para matrículas ou cancelamento de cursos, empresas de ensino à distância que simplesmente desaparecem com o dinheiro dos alunos e baixa qualidade dos professores e das matérias aplicadas. Para muitos estudantes, o que deveria ser a chave para um futuro brilhante, com emprego e renda garantidos, está se transformando em uma dor de cabeça sem-fim. Os dados são preocupantes. Em 2013, somente o Procon do Distrito Federal registrou 2.972 denúncias de irregularidade cometidas por instituições de ensino de todos níveis. Foram aplicados 13 autos de constatação e 18 de infração, além de sete multas e uma sanção de interdição, contra a Faculdade Alvorada. Já no primeiro semestre deste ano, foram expedidos 56 autos. As punições vão de R$ 414,67 a R$ 6,3 milhões.

Temas deste texto: