DF: A concorrência na era das cotas

Veículo: Correio Braziliense - DF
Compartilhe

 

No primeiro ano em que o sistema de cotas será implementado na Universidade de Brasília (UnB), a divulgação da relação candidato por vaga no 1º vestibular de 2013 mostra que, em alguns casos, a concorrência é duas vezes menor entre os cotistas. Mais uma vez, medicina é o curso mais disputado entre as 96 opções de graduação oferecidas. Pelo método universal, são 121 alunos por oportunidade. Porém, para quem cursou todo o ensino médio em escola pública, tem renda familiar igual ou inferior a 1,5 salário mínimo, é preto, pardo ou indígena, a briga é de 61 vestibulandos por cadeira.

Concorrência – Em outros casos, no entanto, conseguir entrar na universidade será mais difícil para quem optou pelas cotas sociais, como em engenharia civil. Segundo colocado no ranking da concorrência universal, com 42,92 inscritos por vaga, o curso é mais disputado se o candidato se encaixa nos critérios de ingresso pelas cotas sociais: são 53 por oportunidade. Situação que não prejudica os cotistas. "Nos cursos em que a concorrência por cotas for maior que a universal, os candidatos não aprovados do primeiro grupo, mas que tiverem notas boas, concorrerão no segundo", explica o coordenador acadêmico do Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe), Marcos Vinícius Soares.

Temas deste texto: