Em alta, setor de educação inspira cautela na Bolsa de Valores

Veículo: DCI OnLine - SP
Compartilhe

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), programa do governo federal que oferece empréstimos para alunos cursarem a graduação, é o principal fator que sustenta a valorização do setor privado de educação listado na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) nos últimos dois anos. Ao mesmo tempo, é também o maior risco político do setor. Uma mudança de governo que possa direcionar os recursos para universidades públicas pode ofuscar o bom desempenho das empresas privadas que passaram a registrar menor inadimplência dos alunos na gestão Dilma Rousseff. Entre as companhias abertas do setor, 53% da base de 514,7 mil alunos da Kroton são financiados pelo Fies, enquanto na Anhanguera Educacional, o Fies representa 33,1% da base de 474,6 mil alunos. Em menor dependência do governo federal, as receitas do Fies na Estácio representam 18% num total de 313,4 mil alunos.

Temas deste texto: