Em dez anos, total de novas matrículas no ensino superior aumenta 91%

Veículo: A notícia foi publicada nos principais jornais do País - BR
Compartilhe

O ensino superior no Brasil atingiu, no ano passado, 7.037.688 de matrículas na graduação, o que representa crescimento de 4,4% em relação a 2011. Desse total, o número de matrículas nas instituições públicas chegou a 1.087.413 e, nas privadas, a 5.140.312. Nas escolas privadas, houve crescimento de 3,5% e, nas públicas, de 7%. Os dados são do Censo da Educação Superior de 2012, divulgado ontem (17) pelo Ministério da Educação (MEC). "O setor privado é maior, mas foi o setor público que sustentou o crescimento", disse o ministro da Educação, Aloizio Mercadante. Levando-se em consideração graduação e pós-graduação, as matrículas somaram 7.261.801. "Temos 7,2 milhões na universidade e sete milhões no Enem [Exame Nacional do Ensino Médio] querendo entrar. Apesar de toda a expansão no ensino superior, temos um número igual [aos que estão no ensino superior] batendo na porta, querendo entrar", ressaltou.

Baixa procura por licenciatura preocupa – Ainda de acordo com o Censo do Ensino Superior 2012, os cursos de licenciatura não atraem estudantes. As matrículas na área aumentaram apenas 0,8%, entre 2011 e o ano passado, e representam apenas 19,1% do total – bacharelados subiram 4,6% e tecnológicos, 8,5%. O indicador tem reflexo na educação básica, que encara um déficit de 170 mil professores em exatas. Os números preocupam educadores e o Ministério da Educação. De olho na insuficiência, o Ministério da Educação lança hoje um programa para incentivar a formação de educadores em exatas, o Quero ser cientista, Quero ser professor. A qualificação dos docentes do ensino superior também é uma das preocupações da pasta. Segundo o censo, 51,4% dos professores da rede pública têm doutorado diante 17,8% da rede particular. "As instituições avançaram muito nos mestres e terão de avançar nos doutores", acrescentou o ministro.

Temas deste texto: