Evasão ou melhora do fluxo escolar?

Veículo: Valor Econômico - BR
Compartilhe

Em artigo, Marcelo Côrtes Neri, presidente do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), analisa a queda da frequência escolar bruta entre os jovens de 15 a 17 anos e diz que ela é justificada pela redução da distorção idade-série. “É cada vez maior o número de estudantes na etapa correta de ensino. Entre os adolescentes de 15 a 17 anos, o percentual de alunos que ainda frequentava o ensino fundamental era de 34,6% em 2004 e foi reduzido para 29,4% em 2011. A melhora do fluxo escolar explica 80% da queda de frequência bruta entre jovens entre 15 e 17 anos. O ensino médio enfrenta uma série de percalços, mas nem tudo são dificuldades e retrocessos. A redução da frequência escolar bruta na faixa de 15 a 17 anos a partir de 2009 não foi observada na frequência líquida, que segue a tendência de alta”, conclui.

Temas deste texto: