Excesso de higiene na infância pode favorecer doenças

Veículo: Folha de S. Paulo - SP
Compartilhe

Pesquisas com camundongos nos Estados Unidos e na Alemanha mostraram que a exposição dos filhotes a micróbios os tornou menos suscetíveis a doenças como asma ou inflamações no intestino. O estudo reforça a chamada “hipótese da higiene”, segundo a qual o excesso de cuidados na infância pode ser prejudicial. O estudo foi coordenado por Dennis Kasper e Richard Blumberg, da Escola de Medicina da Universidade Harvard, e publicado na revista especializada Science. Crianças criadas em fazendas têm menos doenças inflamatórias que as que crescem em cidades, pois são expostas a uma variedade maior de micróbios, segundo a tese. Isso explicaria o aumento dessas doenças em ambientes urbanos nas últimas décadas. O excesso de limpeza poderia ser até prejudicial, de acordo com essa visão.

Temas deste texto: