Hora do celular, hora de estudar

Veículo: Correio Braziliense - DF
Compartilhe

Nos últimos anos, tablets e smartphones têm invadido o cotidiano da população de uma forma geral. Mas o público jovem é o mais impactado pelas novidades tecnológicas. As possibilidades de estar conectado a todo momento, de se comunicar de forma instantânea e ter acesso a internet, jogos e outros aplicativos atrai bastante adolescentes e pré-adolescentes. Para especialistas, como o sociológo Marcelo Cavalcanti Barra, professor do Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília (UnB), as tecnologias trouxeram uma era de democratização do acesso à comunicação e à informação. Mas esse mundo de conteúdos pode ser uma tentação para os mais jovens, principalmente no momento de estudar. Segundo Barra, o ideal é estabelecer regras para que os dispositivos não interfiram de forma negativa. Se dentro de sala de aula os smartphones devem ser evitados, fora dela a situação é diferente. Para Barra, o uso deve ser instigado da melhor forma.

Temas deste texto: