‘Maio Laranja’ alerta no Amapá para o combate da exploração sexual de crianças e adolescentes

Veículo: Globo.com - BR
Compartilhe

Ações educativas e de orientação sobre o abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes são o foco da campanha “Maio Laranja”, lançada pelo Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap) para combate e prevenção do crime nos 16 municípios do estado.

Uma das iniciativas para chamar atenção da população ao tema “Não deixe quem você ama ser a próxima vítima”, será a iluminação na cor laranja de prédios de órgãos públicos em Macapá.

Além disso, o presidente do Tjap, Rommel Araújo, destacou que equipes da Polícia Federal (PF), Polícia Civil e Exército Brasileiro vão orientar as comunidades na fronteira entre Brasil e Guiana Francesa, no município de Oiapoque, uma das regiões que mais preocupam as autoridades.

“Oiapoque é uma área de fronteira aonde nós temos uma preocupação muito grande com as nossas crianças, porque é uma região com muitos rios o que facilita uma ação criminosa. Contamos com apoio da Polícia Civil, PF e Exército Brasileiro no sentido de divulgar essa campanha e trabalhando todos juntos no combate a qualquer tipo de exploração sexual de criança e adolescente”, afirmou.

O mês foi escolhido para campanha, pois em 18 de maio acontece o Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

A juíza Larissa Antunes, coordenadora do Maio Laranja, também alertou que as subnotificações dos crimes vêm aumentando em meio à pandemia, já que tanto vítimas quanto abusadores passaram mais tempo dentro de casa, dificultando as denúncias.

“A subnotificação aumentou pela dificuldade das pessoas de acesso ao serviço pelo isolamento social e porque as crianças foram menos às escolas, que é um lugar onde os professor

Prefeitura de Macapá iluminada com a cor laranja, em alusão ao ‘Maio Laranja’ — Foto: Rede Amazônica/Reprodução

Pela importância das escolas na prevenção dos abusos sexuais contra crianças e adolescentes, o Tjap também realizou parcerias com as secretarias de educação para que o debate sobre o tema seja feito nas aulas, mesmo que de forma on-line.

Como símbolo da campanha, foi escolhido o Galo da Serra (rupicola rupicola). A ave de cor alaranjada, que tem como principal característica a vida solitária na Amazônia, faz alusão ao silêncio das vítimas que carregam injustamente a vergonha e culpa pelos abusos.

Temas deste texto: