Malala cobra acesso à educação

Veículo: Correio Braziliense - DF
Compartilhe

A adolescente paquistanesa Malala Yousafzai pediu à Europa que aumente os esforços pelo acesso das crianças à educação, ao receber o Prêmio Sakharov para os Direitos Humanos, no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, na França. "Cinquenta e sete milhões de crianças esperam por nossa ajuda, essas crianças não precisam de um iPad ou de um tablet, elas precisam de um livro e de uma caneta", disse a garota de 16 anos, ovacionada pelos deputados europeus presentes na plateia. Alvo da milícia fundamentalista islâmica Talibã pela luta contra o extremismo religioso, Malala fez um apelo "aos países da Europa para que ajudem as nações da Ásia, e o Paquistão, em matéria de educação e desenvolvimento". Sorridente, coberta por um véu laranja, ela começou o discurso fazendo uma brincadeira sobre sua baixa estatura e invocando "o nome de Deus misericordioso", antes de proferir uma citação de Voltaire em favor da tolerância. O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, afirmou que Malala "deu esperança a milhões de pessoas".

Temas deste texto: