MG: Anastasia promete prêmio para matrícula escolar

Veículo: Valor Econômico - BR
Compartilhe

Cinco mil reais daqui a dois anos ou três anos, depositados numa conta bancária para serem usadas da maneira que quiser. É essa a promessa que milhares famílias pobres de Minas Gerais têm ouvido do governo estadual. Para isso, é preciso se cadastrar no Banco Travessia, braço do programa homônimo, e estudar, diz o governo. Pais, filhos ou outros integrantes da família que, por exemplo, se matriculem na escola, passem de ano, concluam um curso de alfabetização ou consigam um emprego formal, acumulam um valor referente a cada passo. O máximo são R$ 5 mil em até três anos. Dados de maio mostram que 6.168 famílias já se cadastraram desde que o banco foi criado, no fim de 2011. O governo se refere a elas como acionistas do banco. Pagar para estimular a escolaridade, a qualificação técnica e o trabalho formal é a forma que o governo escolheu para tentar levar famílias que estão mergulhadas na pobreza a melhorar de vida. A iniciativa faz parte do programa social que o PSDB diz ser mais eficiente do que o Bolsa Família do governo federal.

Temas deste texto: