Namoro na escola

Veículo: Jornal do Commercio - PE
Compartilhe

Júlia, que olha para Marquinhos, que paquera com Nina, que por sua vez está de namorico com Mateus. O enredo pode até ser fictício, mas que é bem real dentro de grande parte das escolas, isso ninguém pode duvidar. Quando chega a adolescência é quase inevitável tirar a paquera do currículo escolar. E quando os olhares e ficadas evoluem para namoro, o que fazer? Namorar na escola pode ser muito bom, mas também pode ter seus percalços. Para não proibir, os colégios apostam no bom senso e em algumas regrinhas para evitar que o rendimento escolar do casal vá por água abaixo. Estudar na mesma sala, por exemplo, é possível, desde que com responsabilidades e cadeiras bem afastadas, que é para não dar mole quando a saudade apertar. Não há dúvidas que namorar é muito saudável, dentro da escola pode ser ainda mais, desde que não falte responsabilidade. Diretor do colégio Nap, Sérgio Santos, tem 74 anos, mas garante pensar como um de seus alunos de 16, por isso, proibir o namoro dentro do colégio está fora de cogitação.

Temas deste texto: