Nova esperança contra a síndrome de Tourette

Veículo: Correio Braziliense - DF
Compartilhe

A síndrome de Tourette é conhecida pelas crises de ações involuntárias, como pestanejar e esticar o pescoço. De causa desconhecida, o distúrbio neuropsiquiátrico que costuma surgir na infância intriga cientistas. Um grupo do Reino Unido acaba de divulgar resultados de uma pesquisa que pode tornar o tratamento para o problema – que, em alguns casos, envolve a ingestão de antipsicóticos – menos agressivo. Eles descobriram níveis altos de um importante neurotransmissor em uma área do cérebro responsável pelos comandos motores. A proposta é utilizar ondas eletromagnéticas para estimular as áreas cerebrais afetadas por esse problema. Para decifrar como a área do estriado funciona quando há a síndrome, os cientistas utilizaram uma técnica avançada de monitoramento cerebral e compararam os resultados atingidos com voluntários saudáveis e pacientes com Tourette.

Temas deste texto: