Número de eleitores adolescentes cai quase 33% de 2010 para 2014

Veículo: Diário do Nordeste - CE
Compartilhe

As manifestações de junho do ano passado tiveram uma presença maciça de adolescentes e jovens adultos. Contudo, o fenômeno, que poderia indicar uma maior conscientização política nesse segmento da população brasileira, não necessariamente resultou num incremento do eleitorado com 16 ou 17 anos, no pleito de 2014. Os números divulgados no início do mês de agosto pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que a mobilização juvenil dos últimos meses não se refletiu em um aumento na quantidade de eleitores adolescentes, na verdade, o que se deu foi o inverso, uma redução. Uma possível explicação para essa aparente contradição é que essa parcela da população, que tem o voto como um direito facultativo, pode estar escolhendo meios alternativos para expressar suas posições políticas e de reivindicar as pautas próprias da juventude. Nas eleições de 2010, quase 2,4 milhões de votantes em todo o País, tinham 16 ou 17 anos. A população nessa faixa etária, à época daquele pleito, era de aproximadamente 6,8 milhões de pessoas. Neste ano, há praticamente o mesmo número de brasileiros com esse perfil de idade, mas o número de eleitores no mesmo segmento caiu para pouco mais de 1,6 milhão de pessoas. A queda é de quase 33%.

Temas deste texto: