ONU confronta Igreja Católica

Veículo: A notícia foi publicada nos principais jornais do País - BR
Compartilhe
Representantes do Vaticano participaram, em caráter inédito, de uma audiência no Comitê das Nações Unidas (ONU) sobre os Direitos da Criança para prestar esclarecimentos sobre os casos de pedofilia cometidos por padres e membros do clero. Pela primeira vez, a Igreja Católica foi abertamente confrontada sobre o tema. O arcebispo italiano Silvano Tomasi, observador da Santa Sé na ONU, reconheceu o horror dos abusos sexuais e defendeu os esforços do Vaticano para evitar novos casos. No mesmo dia, em clara alusão aos crimes e às denúncias de corrupção, o papa Francisco disse que é preciso ter vergonha dos problemas que envolvem a Igreja e a tornam "alvo de escárnio". Durante homilia na residência de Santa Marta, o pontífice afirmou que os autores de abusos "não têm uma ligação com Deus" e se aproveitaram da posição de poder para agir contra as vítimas.
Temas deste texto: