PE: Ações para desafogar a Funase

Veículo: Jornal do Commercio - PE
Compartilhe

A Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) de Pernambuco tem 893 vagas, mas abriga 1.340 adolescentes em conflito com a lei. Essa superlotação – mais que o dobro da capacidade – pode ser amenizada nos próximos dias. Começou, ontem (08), um mutirão da Justiça para analisar a situação de cada jovem. Adolescentes de todas as unidades terão seus processos avaliados até o fim de fevereiro. A primeira a realizar o trabalho é a do Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife. São 166 vagas, mas lá vivem 314 meninos. “Queremos fazer um recadastramento para elucidar a situação real de cada jovem. Isso, do ponto de vista processual, socioeducativo e psicológico”, explicou o secretário da Criança e da Juventude, Pedro Eurico. A intenção é que o mutirão aconteça várias vezes ao longo de cada ano.

Temas deste texto: