PE: Grávidas de Suape sem plano de saúde

Veículo: Diário de Pernambuco - PE
Compartilhe

Sem emprego e sem assistência à saúde. A desmobilização dos canteiros de obras da Refinaria Abreu e Lima, no Complexo Industrial e Portuário de Suape, em Pernambuco, revela outra face cruel das demissões. Os trabalhadores e os seus dependentes ficaram sem plano de saúde após o corte na folha de pessoal. A situação mais dramática é das mulheres grávidas no final da gestação. Elas fizeram o pré-natal com o médico do plano e agora estão desamparadas. Terão que ir à Justiça para conseguir a cobertura médica e hospitalar. É o caso de Hortênsia Pereira do Nascimento, mulher de Arthur de Souza Ferreira, 24 anos, demitido da empresa Jaraguá, prestadora de serviços do consórcio Conest. Ela entrou na Justiça e nesta terça-feira (10) conseguiu uma liminar garantindo o parto de Ícaro, além da manutenção do plano de saúde de todos os beneficiários nas mesmas condições. Segundo a Agência Nacional de Saúde (ANS), a resolução normativa 279 dá direito ao trabalhador e aos seus familiares de permanecerem de seis a 24 meses no contrato, no caso de demissão sem justa causa, desde que assuma o pagamento integral da mensalidade.

Temas deste texto: