Previdência: brincadeira de criança

Veículo: Valor Econômico - BR
Compartilhe

A palavra previdência é com frequência associada a cabelos brancos. A modalidade avança a passos mais rápidos, entretanto, em meio a um público bem mais jovem. É cada vez mais usada como uma forma de poupança para crianças e adolescentes, não necessariamente com vistas à aposentadoria. Os planos para quem tem menos de 21 anos arrecadaram R$ 1,1 bilhão somente de janeiro a julho deste ano, segundo os dados mais recentes da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi). Houve crescimento de 11% em relação ao mesmo período de 2013, na contramão dos planos individuais para adultos, cuja captação teve queda de 0,4%, ainda que com volume maior, de R$ 37,5 bilhões. A advogada Renata da Mata Rosa, sócia do escritório Brasil RMP Consultoria, fez um plano para a filha Mariana, hoje com 3 anos, assim que ela nasceu. E desde então faz aportes de R$ 350 por mês. "Não sabemos o que vai acontecer com as nossas vidas. É uma garantia para ela. Uma reserva para pagar a faculdade, fazer MBA, intercâmbio ou dar entrada em um apartamento", diz. A ideia é que a filha tenha acesso aos recursos depois dos 18 anos.

Temas deste texto: