Que tal fechar as escolas ruins?

Veículo: Revista Veja - BR
Compartilhe

Ainda na gestão de Haddad, o Ministério da Educação decidiu cortar 50 mil vagas de cursos universitários de baixa qualidade. Em artigo, o especialista Gustavo Ioschpe recomenda que também sejam cortadas todas as vagas de escolas de educação básica de má qualidade. Para ele, tal iniciativa seria justificável por três motivos : “Primeiro, porque, enquanto os alunos da educação superior são jovens e adultos que têm a capacidade cognitiva para saber qual é a qualidade da faculdade em que estão ingressando, os alunos que entram em uma escola na 1ª série têm reduzidas condições de saber a qualidade da escola”, explica. Além disso, frequentar o ensino superior envolve uma escolha, enquanto a educação básica é compulsória. Por último, para ele, “faz um grande sentido financeiro adiantar a extinção das vagas”. “Como é óbvio que um aluno analfabeto jamais poderá ser um profissional competente, para que gastar anos de sua vida e muitos reais com merenda, transporte, livros, professores e escolas se ele já está condenado?”, argumenta.

Temas deste texto: