RJ: Estado tem 735 professores cedidos, mas não recebe por eles

Veículo: Extra Online - RJ
Compartilhe

Recursos suficientes para a construção de pelo menos seis novas escolas, com capacidade para mais de mil alunos cada, poderiam ser aplicados na rede estadual de ensino do Rio de Janeiro, caso uma regra, publicada em decreto pelo governador Sérgio Cabral, em janeiro de 2011, estivesse sendo cumprida. O texto determinava que a Secretaria de Educação teria de ser ressarcida pelo pagamento dos salários dos professores e dos funcionários de apoio administrativo dos colégios cedidos a outros órgãos. Só que, mais de dois anos depois, um levantamento feito pelo O Globo mostra que nada menos do que R$ 33,3 milhões não foram devolvidos pelos serviços prestados por esses profissionais no período.

Retorno – Apesar disso, ainda há 735 docentes emprestados, quase o suficiente para cobrir o déficit atual nas salas de aula, estimado em 877. Outros 132 servidores de apoio também não retornaram.Em nota, a Secretaria de Educação informou apenas que "faz a cobrança mensal do ressarcimento e que solicitará o retorno dos servidores cedidos cujos órgãos não vêm cumprindo o decreto".

Temas deste texto: