RS: Governo promete acabar com medicação excessiva na Fase

Veículo: Zero Hora - RS
Compartilhe

A Secretaria da Justiça e dos Direitos Humanos (SJDH) definiu como problema histórico a suspeita de que adolescentes internos da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Fase), no Rio Grande do Sul, recebem medicação excessiva e prometeu solução imediata. Até o fim do mês, será implantado um plano de atendimento psiquiátrico uniforme em todas as unidades. A medida deve eliminar distorções como o “se necessário” , termo registrado por psiquiatras em receituários e que permite que outra pessoa defina quando um adolescente deve receber o remédio. “Toda medicação terá que ter indicação clínica ou diagnóstico de necessidade”, afirmou Tâmara Biolo, diretora da secretaria. A promessa foi anunciada no dia em que o jornal Zero Hora publicou a o ofício assinado pelo psiquiatra da unidade afirmando que a Fase medica pelo ócio. O médico foi afastado.

Temas deste texto: