RS: Morte de bebês e precariedade de atendimento neonatal em Canguçu

Veículo: Zero Hora - RS
Compartilhe

A UTI Neonatal do Hospital de Caridade da cidade de Canguçu (RS) fechou as portas após apenas três meses de funcionamento. As razões são a falta de médicos e o registro de mortalidade de bebês bem acima da média. Nos 90 dias de funcionamento, morreram no local 12 dos 45 bebês atendidos. Conforme a Secretaria Estadual de Saúde (SES), a proporção na casa de saúde de Canguçu foi de 80 óbitos para cada mil nascimentos. A média nas UTIs neonatais gaúchas, segundo a secretaria, é de 13 mortes para cada mil nascimentos. Apuração feita pelo governo do estado indica que os bebês morreram de causas diferentes, mas a principal suspeita é de que as mortes tenham ocorrido por falta de especialistas. A UTI contava com quatro médicos quando deveria ter oito para cuidar de 10 pacientes — capacidade total da unidade.

Temas deste texto: