SP: É preciso levar o deficiente à escola, afirma secretária

Veículo: Folha de S. Paulo - SP
Compartilhe

 

Resolver a situação de crianças deficientes que estão fora da escola está entre as prioridades da médica Marianne Pinotti, escolhida pelo prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), para a Secretaria da Pessoa com Deficiência e Mobilidade. Segundo a nova secretária, menos da metade das escolas municipais de ensino infantil e fundamental tem acessibilidade arquitetônica."Temos um trabalho grande para trazer as crianças que ainda estão em escolas especiais para o ensino regular e, mais que isso, buscar as que ainda nem estão estudando", disse. Para isso, ela vai pedir recursos do Ministério da Educação para ampliar as salas de acompanhamento e apoio à inclusão no município, que hoje são 382."Há cerca de 18 mil alunos com deficiência hoje na rede e acredito que temos muito mais que isso em São Paulo".

Temas deste texto: