SP: Governo vai facilitar internação à força de usuários ‘graves’ de drogas

Veículo: Folha de S. Paulo - SP
Compartilhe

 

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou ontem (03) um projeto para facilitar a internação à força de usuários graves de drogas. Alckmin não deu detalhes sobre a medida, mas afirmou que ela deve ser implementada nas próximas duas semanas. A principal alteração se dará na equipe do Cratod (Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas), para onde são levados usuários por agentes do governo. No local, haverá médicos, um promotor e um juiz, que juntos vão agilizar a decisão pela internação. Os médicos avaliarão as condições do paciente e informarão a necessidade de internação forçada de casos graves que recusarem tratamento.O promotor dará então um parecer, e o juiz decidirá se a internação forçada é necessária. A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) acompanhará a decisão.

Infância – O projeto servirá para crianças, adolescentes e adultos. Segundo Rosangela Elias, coordenadora de Saúde Mental, Álcool e Drogas do governo, a medida não será uma "caça às bruxas". "Esperamos que esse seja o caso da grande minoria", diz a coordenadora.O desembargador Antonio Carlos Malheiros, da área da Infância e Juventude do TJ, diz que a medida o preocupa."Não sou contra a internação compulsória, mas o meu temor é que isso seja feito em massa. Que se comece a retirar todo mundo da rua e confundir o usuário de drogas com o marginal".

 

Temas deste texto: