SP: Sem creches, alunas da USP levam filhos para a sala de aula

Veículo: Folha de S. Paulo - SP
Compartilhe

Estudantes de diferentes cursos da USP (Universidade de São Paulo) têm levado mais do que cadernos, livros e canetas para a sala de aula. Desde o início do ano, além do material escolar, elas levam os filhos à tiracolo. As universitárias alegam que não têm com quem deixar os pequenos após a USP decidir não abrir novas vagas nas creches da instituição. De acordo com a própria USP, as creches são para filhos de funcionários, professores e alunos, no entanto, não foram abertas novas vagas em 2015. A instituição não comenta o motivo de ter tomado essa decisão. Para o Sintusp (Sindicato dos Trabalhadores da USP) e a Apef (Associação de Pais e Funcionários da Creche Central) a intenção da reitoria é fechar definitivamente as creches, já que não há previsão de abertura de novas matrículas. Procurada, a USP disse que servidores e docentes com filhos até seis anos e que não estão na creche podem contar com um auxílio mensal no valor de R$574 por dependente. Atualmente, cerca de 3.800 recebem o benefício, que não é voltado para os alunos. A USP diz ainda que atualmente são cinco creches (duas no campus do Butantã, uma na Faculdade de Saúde Pública, uma no campus de Ribeirão Preto e uma no campus de São Carlos). Juntas, elas atendem cerca de 580 crianças. A maioria das vagas, segundo a USP, são voltadas para filhos de funcionários e de alunos. Neste ano, diz a USP não foram abertas nenhuma vaga nas unidades.

Temas deste texto: