SP: Unicamp forma hoje primeira turma de ‘cotistas por mérito’

Veículo: Folha de S. Paulo - SP
Compartilhe

O programa de inclusão social da Unicamp (Universidade de Campinas) que inspirou o modelo paulista de cotas forma hoje sua primeira turma. São 54 alunos oriundos de escolas públicas de Campinas (SP) que fizeram uma espécie de curso à parte, com aulas de várias áreas de conhecimento. Eles têm até hoje para escolher qual graduação querem seguir. Dos 67 cursos da Unicamp, 61 terão vagas. Criado em 2010, o programa serviu de inspiração para a proposta do governo de São Paulo de montar um curso destinado a estudantes de escolas públicas no estado que queiram entrar na Unicamp, na USP (Universidade de São Paulo) e na Unesp (Universidade Estadual de São Paulo).

Rendimento – A seleção para o programa da Unicamp, chamado de Profis, usa como base a nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Ao menos um aluno de cada escola pública de Campinas é chamado. O curso tem 120 vagas anuais e pode ser concluído entre dois e três anos. Quem se forma tem vaga garantida na universidade, sem prestar vestibular, mas a entrada na graduação depende do número de vagas disponíveis e do rendimento do aluno.

Temas deste texto: