Suspensão da publicidade infantil custaria R$ 33 bilhões

Veículo: A notícia foi publicada nos principais jornais do País - BR
Compartilhe

O fim da publicidade direcionada ao público infantil, que consta da Resolução 163 do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), da Secretaria dos Direitos Humanos, poderá representar uma perda para a economia estimada em R$ 33 bilhões, de acordo com estudo da consultoria GO Associados, feito a pedido da Mauricio de Sousa Produções, e divulgado nesta quinta-feira (11) em evento na Fundação Getulio Vargas (FGV), em São Paulo (SP). Segundo o economista Gesner Oliveira, da GO Associados, a perda de receita levaria a uma queda de arrecadação de impostos em R$ 2,2 bilhões, além do corte de 720 mil postos de trabalho, tirando R$ 6,4 bilhões em salários de circulação. De acordo com Oliveira, que já foi presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), os R$ 33 bilhões são equivalentes ao dobro do gasto anual do governo com o Bolsa-Família, que é de R$ 16,5 bilhões.

Temas deste texto: