Torcedores mirins: fim da brincadeira

Veículo: Jornal de Brasília Online - DF
Compartilhe

Eram 11 super-heróis entrando em campo. E 11 vilões do outro lado. Mas a Seleção Brasileira, que antes era uma espécie de Liga da Justiça, perdeu a força. E os torcedores mirins perderam a esperança de ver o time brasileiro ganhar uma Copa. O jogo que terminou em 7 a 1 para a Alemanha parece um pesadelo para as crianças; e dos piores. E, para os pais, como ajudar os filhos a lidar com a derrota? Especialistas apontam o caminho: o importante é não reforçar o sofrimento. "Nem sei dizer o que eu senti. Foi uma mistura de decepção com vergonha. Faltou liderança. Faltou Thiago Silva e Neymar, o melhor zagueiro e o melhor atacante. Só faltava o Felipão tirar o Júlio César", desabafa Artur Oliveira, de 11 anos. O menino, que depois da partida chegou a vestir a camisa do Flamengo para homenagear os alemães, diz ainda: "Mesmo sabendo que a Alemanha era muito superior, foi muito humilhante". Ele e o irmão, Eduardo, 9 anos, assistiram à partida em casa, com os pais, e ambos acreditam que o desequilíbrio emocional dos jogadores atrapalhou uma possível derrota sem humilhação. "A gente acreditava que seria, pelo menos, 2 a 1 pra Alemanha. Foi um pesadelo", confessa.

Temas deste texto: